Autor

20 de dezembro de 2010

Primeiras Oportunidades!!!

Despacho normativo n.º 29/2010
SUMÁRIO: Permite excepcionalmente a conclusão do 1.º ciclo e transição ao 2.º ciclo do ensino básico dos alunos com 8 anos de idade. (...)

O existente:
IV — Condições especiais de avaliação
Casos especiais de progressão
72 — Um aluno que revele capacidades de aprendizagem excepcionais e um adequado grau de maturidade, a par do desenvolvimento das competências previstas para o ciclo que frequenta, poderá progredir mais rapidamente no ensino básico, beneficiando de uma das seguintes hipóteses ou de ambas:
a) Concluir o 1.º ciclo com 9 anos de idade, completados até 31 de Dezembro do ano respectivo, podendo completar o 1.º ciclo em três anos;
b) Transitar de ano de escolaridade antes do final do ano lectivo, uma única vez, ao longo dos 2.º e 3.º ciclos.

O acrescento:
72.1 - Excepcionalmente, pode um aluno concluir o 1.º ciclo com 8 anos de idade, de acordo com os restantes requisitos previstos no número anterior, dependendo a transição ao 2.º ciclo do ensino básico de despacho do membro do Governo responsável pela área da educação.

Depois do "sucesso" das Novas Oportunidades, eis que refinam as Primeiras Oportunidades!
Não se pasmem! Depois da "geração rasca" e da "geração à rasca" chega agora a "geração de sobredotados"!
O contexto não poderia ser mais adequado para facilmente entendermos que se junta o útil ao agradável, pretendendo-se assim, também, mais um resultado numérico na estatística do ME, mas desta feita em duas áreas, na diminuição do número de professores do 1ºciclo e na diminuição da média de idades dos alunos que frequentam o 2ºciclo, o 3ºciclo e o secundário.
Porque não têm a coragem de acabar com os anos de escolaridade e fazer um currículo por "pacotes"? O pacote do 1ºciclo, o do 2ºciclo, o do 3ºciclo e o do secundário (que nem faz sentido, porque agora não há ensino secundário, é todo de relevante interesse - 12 anos de escolaridade obrigatória!). Assim quando o pacote estivesse cheio mudava-se o menino aluno de pacote!
Doze anos de escolaridade é uma força da expressão, aliás já com as novas oportunidades o é e agora com esta medida ainda mais o será!
Mas porreiro, porreiro, é um indivíduo nunca ter estudado, atingir os 23 anos e ser candidato ao ensino universitário! Mesmo que o indivíduo não acabe nenhum curso, sempre pode dizer que tem a frequência do ensino universitário, sendo que quem ouvir, sempre pode inferir, à boa maneira portuguesa,  que o indivíduo em questão tem doze anos de estudo ou pelo menos o 12ºano devidamente equivalido!
No fundo, quer me parecer que o sucesso desta medida será o mesmo daquela em que os alunos que reuniam determinadas condições de mérito poderiam transitar directamente do 8º para o 10ºano, ou seja, nulo, ou sendo mais cuidadoso, praticamente nulo, pode sempre haver umas cunhitas e o filho de alguém, digo, o aluno, pode sempre transitar com 3 anos de frequência do 1ºciclo para o 2ºciclo.
Só há uma pequena coisinha, pequenina mesmo (ou mêmo!) que não entendo e me faz confusão. Se até agora se fechavam as escolas mais pequenas do 1º ciclo para que, entre outras coisas, houvesse um professor por ano de escolaridade, como se vai fazer agora com um aluno que frequente só 3 anos nesse ciclo?  Terá um mix de professores?

1 comentário:

Ana disse...

Há buracos na Educação?
Claro que sim! Quem os criou?
Não somos nós quem temos que responder!
Apenas posso ajudar:
"Os buracos tapam-se com cimento ou betão, não com bocadinhos de papel e muitas rezas para que não chova."

Sempre "atentamente",

Ana