Autor

19 de janeiro de 2011

Aceita-se troca!

          
           Entendo perfeitamente a revolta, tanto mais quanto me lembro que o grande pedaço dos sacrifícios está a cargo dos funcionários públicos!
Mas, quanto à nossa profissão, nunca entendi as diferenças de vencimento atribuídas a seres humanos que desempenham a mesma profissão – ser professores! Como tal, aos mais enfurecidos, tal como eu, mas por diferentes razões, se quiserem um vencimento da mesma profissão que não é abrangido pela taxa de redução remuneratória e que tem associado mais componente lectiva (quando comparado com alguns), aqui têm um voluntário para uma eventual troca!
            Façam-me o favor de não vir com a treta o argumento de que também já passaram pelas mesmas condições no início da profissão/carreira, porque eu deixo-lhes já a pergunta, também de umbigo, de que se: “Para os vossos filhos também querem o pior por que passaram?”
        

1 comentário:

IFIGÉNIO OBSTRUZO disse...

POIS TAMBÉM CRISTO NUNCA ENTENDEU PORQUE FOI CRUCIFICADO..

Qualquer homem que invente uma nova imbecilidade recebe salvas de palmas e torna-se o dono da verdade; para as grandes massas, ele é o bom ideal da humanidade. Dê um giro pelos últimos mil anos da História e descobrirá que 90% dos ídolos populares do mundo – não me refiro aos heróis de pequenas seitas, mas a ídolos mundialmente populares – não passaram de casos baratos de nonsense. Tem sido assim em política, religião e em qualquer outro departamento do pensamento humano. Mesmo tais casos já enfrentaram alguma oposição, uma vez ou outra, de críticos que os denunciaram como charlatães e os refutaram assim que abriam a boca. Mas, ao lado de cada um deles, havia a titânica força da credulidade humana, e isto bastava para destruir os seus inimigos e estabelecer a sua imortalidade.

Henry Mencken