Autor

9 de janeiro de 2011

Finalmente um país de Mestres!

"Universidades vão credenciar com mestrado licenciados de pré-Bolonha
08 de Janeiro de 2011, 23:27

O presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP), António Rendas, disse neste sábado que “foram aprovadas recomendações para iniciar o processo de creditação dos licenciados pré-Bolonha”.
Falando no final da reunião da CRUP, que decorreu no Campus de Angra do Heroísmo da Universidade dos Açores, António Rendas revelou que “essas orientações visam credenciar os licenciados anteriores ao processo de Bolonha com o grau de mestre”.
Para isso, “conforme o currículo académico e profissional de cada um terão de fazer algumas disciplinas, apresentar e defender um relatório final, cujas definições serão determinadas por cada uma das universidades”.
Fonte: Lusa/SAPO

Não deixa de ser, por um lado,  mais uma fonte de receita do Ensino Superior.
Será pertinente saber o que se fará com os mestrados pré-Bolonha!
No entanto, espero que não se esteja a cometer um erro para reparar outro.
Um assunto que ainda fará correr muita tinta!

Bem! Lá terei que adaptar a minha expressão de: "Doutores conheço muitos! Senhores é que conheço poucos!", para: "Mestres conheço muitos! Senhores é que conheço poucos!".

9 comentários:

Anónimo disse...

Por esse caminho, será de esperar que os mestrados pré-Bolonha se convertam em Doutoramentos, e os Doutoramentos em Cátedras. LOL

Ana disse...

Recomendação avançada no timing certíssimo! Afinal "eles" são mesmo "um mundo à parte"!
Imaginem agora a quantidade de docentes que se encontram neste universo (licenciados pré-Bolonha) e aqueles que já estão a dar pulos de alegria porque finalmente serão chamados MESTRES! Muito provalvelmente até esquecerão os ditos "cortes" em prol da denominação que passarão a ter...
Agora sim, a mistura tornou-se MAIS QUE EXPLOSIVA!
Todo homem que lê demais e usa o cérebro de menos, adquire a preguiça de pensar.(Albert Einstein)

Sempre "atentamente",

Ana

Anónimo disse...

Consideram mais justo fazer de contas que os três anitos actuais são equivalentes aos cinco antigos? Este é o maior disparate que ouvi na vida! Ainda hoje se valoriza mais a quarta classe antiga do que o actual 9.º ano! Acham mesmo, a sério, que os bolonheses de três anos são iguais aos cinco antigos em que havia exames a todas as disciplinas? A minha alma está parva! Está tudo de pernas para o ar!

Anónimo disse...

E já agora bacharéis em licenciados; portadores do 12º ano em bacharéis e por aí fora, ou seja, quando um aluno chegasse à escola já tinha o 4º ano!

Anónimo disse...

Não se trata de nada disso. Na verdade, um mestre de bolonha é um licenciado antigo. Seja para inscrição nalgumas ordens, seja para acesso a algumas profissões. Chamar mestre a quem estuda cinco anos, às vezes quatro, e licenciado a quem estudou cinco, às vezes seis,é uma cagalhotice que envaidece alguns titulares, mas que não passa disso. Em muitos casos, estudantes que começaram a estudar ao mesmo tempo, na mesma Universidade, só porque alguns entraram no bolonhês por decisão burocrática arbitrária, passaram a ser mestres de obras ao lado dos seus amigos cujo papelito não foi assinado. Apesar do crescimento contínuo de conhecimentos, é a primeira vez na história que menos habilitações dêm títulos iguais ou superiores. Não lembra ao diabo que se queira comparar um "licenciado" bolonhês com um licenciado. Muitos que achavam bacharelatos, com três ou quatro anos, digamos, "indignos" acham agora licenciaturas de três anos dignas dos maiores encómios.

Robin da Selva

Anónimo disse...

Um país? Uma latrina!

Miguel Summavielle disse...

Tudo em prol das estatísticas!!!
As "novas oportunidades" dão habilitações por grosso para que deixemos de ser um país de analfabetos.
É lógico que se dê a mesma oportunidade (ainda que em grau distinto) aos licenciados! E o dinheirito faz tanta falta às universidades...
Serei apenas eu a achar que faz falta formação intermédia especializada? Não tarda temos engenheiros civis a assentar tijolo sem nunca terem aprendido a fazer cimento!

Anónimo disse...

Independentemente do título, o que parece estranho é uma situação com a seguinte ,que suponho poderá vir a acontecer: um licenciado em Biologia ou Letras, por exemplo (5 anos) vir a ser ultrapassado na carreira por um licenciado numa ESE e um mestrado feito, por exemplo, nas chamadas Ciências de Educação.Para além da dúvida sobre a qualidade cientifica do percurso académico,será que os jovens de hoje aprendem muito mais em menos tempo? Claro que estes títulos devem ser corrigidos para efeitos de carreira. Curiosamente professores que eram apenas bacharéis ou até equiparados (por ex de trabalhos manuais,alguns que nunca andaram numa universidade),já podem ascender ao topo da carreira.Tudo bem! Os licenciados de 5 anos é que ficam para trás de tudo????

Anónimo disse...

MAIS VALE O ANTIGO CURSO INDUSTRIAL DO QUE OS LICENCIADOS Á BOLONHESA QUE ENTRAM COM 23 ANOS SEM NUNCA TEREM CONCLUIDO O 9º ANO. MAL SABEM FAZER UMA CONTA DE DIVIDIR SEM MÁQUINA E ENTÃO CONHECIMENTOS BÁSICOS DE MATEMÁTICA FICARAM PELO CAMINHO. RESTA-LHES SEREM VENDEDORES, CAIXEIROS OU O CALL-CENTER. ESTA ESCUMALHA DE POLITICOS OPORTUNISTAS DESTRUIRAM ESTE PAÍS.