Autor

22 de janeiro de 2011

Portugal - De patrão a operário!


Temos um (des) governo que conseguiu colocar o país na situação de um operário, digno, mas um operário!
Portugal neste momento, não é mais que operário dos credores!
Tal como qualquer operário, para fazer face à vida, sujeita-se às regras ditadas pelo patrão! Sim, regras! Regras que cabem dentro do grande saco legal!
Dizer que depende de Portugal não recorrer à ajuda internacional é o mesmo que dizer que um cidadão, que se endividou até ao tutano, chega ao seu banco e para além de exigir ainda mais dinheiro, endividando-se cada vez mais, ainda vai dizer ao banco o preço a que quer comprar esse dinheiro!
Eu só concebo o recurso ao crédito para necessidades básicas ou inesperadas, mas o governo também, só que se comporta como um cidadão vaidoso, que vive da aparência de mostrar sem ter, em que tudo o que quer, em mente, se tornou básico!
Mentalidade e vida de rico com carteira de pobre dá asneira! Ambição? É! É a ambição de deixar o futuro dos vindouros hipotecado a uma dívida!
É que nem se pode dizer que este país foi gerido da mesma forma que se gere uma tasca, porque há muito que neste país se perdeu a noção do “deve” e do “haver”!


Este texto é parte de um comentário meu no blogue Professores Lusos. Parte ou a globalidade de outros textos meus já disponibilizados na rede, serão identificados com a etiqueta: Baú.

Sem comentários: