Autor

10 de setembro de 2011

O novo modelo de ADD e a graduação nos Concursos.

"(...) acordo ainda acaba com os efeitos negativos da avaliação de desempenho sobre a graduação profissional para efeitos de concurso. Em relação aos docentes dos quadros, os resultados da avaliação não se repercutem na graduação profissional, porque já têm expressão na redução da duração do escalão seguinte. No caso dos docentes contratados, as classificações de avaliação de desempenho positivas – Bom e Muito Bom – asseguram de modo igual o crescimento de um ponto na graduação profissional."
                                                                                                                                                                                      Fonte: FNE


Comentário: Relembro que para os professores contratados não há aulas observadas, nem há atribuição da menção de Excelente, e relembro também que a menção de Bom não tem quota.
Não se acaba com o efeito da ADD nos concursos, mas, na prática, universaliza-se o seu efeito.
 

4 comentários:

BMG disse...

Como dizes, é uma "quase" universalização do efeito da ADD... Sempre evita "lutas" e atitudes mais duvidosas para tentar obter o MB..
Mas haverão uns colegas muito prejudicados com esta medida! São aqueles que não conseguirem ter os 180 dias de serviço! Não têm acesso à avaliação, logo não poderão obter pelo menos Bom para terem bonificação...

educar A educação disse...

BMG,
No meu entender, logo que um professor contratado complete 180 dias de serviço, poderá ser avaliado, e esse tempo será contabilizado.
Nada no projecto circunscreve esses 180 dias ao mesmo ano lectivo.
É o melhor ponto de vista que posso ter sobre esta matéria.
Um abraço.

BMG disse...

Acho que assim não faria muito sentido. A avaliação dos contratados é, no máximo, anual. E tal como diz no ponto 5 do art. 5º: "O ciclo de avaliação dos docentes em regime de contrato a termo tem como limite mínimo 180 dias
de serviço lectivo efectivamente prestado." Isto é, é necessário, dentro do ano letivo em questão, que o docente tenha um mínimo de 180 dias (seja com que carga horária for!).
Não será mais essa a ideia do modelo?

educar A educação disse...

BMG,
Ainda em Agosto alertei aqui:
http://educaraeducacao.blogspot.com/2011/08/qual-duracao-do-periodo-da-add-para-os.html
para: "Qual a duração do período da ADD para os professores contratados?"
No meu entender o projecto de DR não deveria ser omisso nessa matéria.
Pelo projecto de DR pode-se mesmo concluir que logo que um docente contratado tenha 180 dias de serviço efectivo (falta saber se é contabilizado consoante a carga horária, ou não) pode ser avaliado!
Portanto, quanto ao modelo estamos desde já entendidos, o dito pode ter várias interpretações. Claro que depois vem sempre uma circular a “legislar” onde não pode! Enfim, legisladores amadores!
Um abraço.