Autor

terça-feira, 4 de Janeiro de 2011

Antecipar os cortes salariais para os tentar evitar.

Nós professores e demais função pública, poderíamos ter antecipado os cortes salariais, por nossa iniciativa,  para os meses de Novembro e Dezembro, sobre a forma de uma greve de quatro dias! Isto para lutarmos com as "armas" que temos!
Estou a lembrar-me, por exemplo, termos feito quatro dias de greve na semana do dia 8 de Dezembro. Seriam quatros dias que na prática seria uma semana de greve.
Muito provavelmente tal medida faria ponderar duas vezes a aplicação e a dimensão dos cortes exclusivos aos trabalhadores da função pública.
Não tendo sido feito, agora o que temos?
Temos show off dos sindicatos e ficamos sem o dinheiro na mesma! Só que agora, como nos é imposto, vamos ter que conseguir remediar a situação, porque se o tivéssemos feito antes,  por nossa iniciativa, o mundo podia acabar!

Quando é que o País vai entender que mais do mesmo é previsível, passa e não funciona?!

Mas como me parece que a coisa não vai ficar por aqui, a ideia aqui fica!

Dias e abstenção, Lda.


... ao terceiro dia conforme as ...

20 de Janeiro (Dia de pagamento e 1º contacto com os cortes):
Encargos Gerais do Estado;
Presidência do Conselho de Ministros;
Ministério das Finanças e da Administração Pública;
Ministério da Defesa Nacional;
Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social;
Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações;
Ministério dos Negócios Estrangeiros.

21 de Janeiro (Dia de pagamento e 1º contacto com os cortes):
Ministério da Administração Interna;
Ministério do Ambiente e do Ordenamento do Território;
Ministério da Justiça;
Ministério da Saúde.
Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento*;
Ministério da Educação*;
Ministério da Cultura*;
Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior*;
Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas*.

22 de Janeiro: Dia de reflexão para as Eleições Presidenciais.

23 de Janeiro: Dia das Eleições Presidenciais.

* De acordo com o Aviso n.º 24591/2010