Autor

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Como? Aumentar de 90´/semana para 67´/semana? Aumentar?

Sobre as disciplinas de Ciências Naturais e Ciências Físico-Químicas temos, na proposta de Revisão da Estrutura Curricular, o seguinte:
No JN de hoje temos isto: 

Jornal de Notícias, 13 de Dezembro de 2011
Resumindo: por cada duas semanas, os alunos passarão dos actuais 180 minutos de aula por cada uma destas duas disciplinas, para 135 minutos, ou seja, por semana, a carga horária destas disciplinas passará de 90 minutos para 67 minutos! Aumento da carga horária? Onde?

Das duas, uma! Ou é falha de comunicação, ou andam a brincar com alunos, pais e professores!

Aqui fica a minha proposta (é só clicar no título):

Proposta de alternância/desdobramento entre Ciências Naturais e Ciências Físico-Químicas no 3º ciclo.

Foi ontem apresentada pelo MEC a proposta-base da Revisão da Estrutura Curricular, dando assim início a um período de consulta pública. Porém, e afim de se ter todos os dados necessários para uma melhor análise da proposta, importa que sejam explicadas algumas das medidas propostas, nomeadamente:



"- alteração do modelo de desdobramento de aulas nas ciências experimentais do 3.º ciclo, através de uma alternância entre as disciplinas de Ciências Naturais e de Físico-Química;"

           

Sendo entendível, a partir da análise da proposta apresentada, que as disciplinas de Ciências Naturais e de Físico-Química são objecto, no 3º ciclo, de um reforço de horas de ensino, de 4-4-5, para 6-6-6, respectivamente nos 7º, 8º e 9º anos de escolaridade, já dessa mesma proposta não se consegue entender a forma como essas horas serão utilizadas. Assim, urge saber em que consiste essa alternância. Da sua interpretação podem surgir vários cenários, inclusive o da não efectividade das 6 horas semanais no currículo, nomeadamente se, por exemplo, uma hora/disciplina for leccionada semanalmente pelo professor, mas quinzenalmente para o aluno (conforme o turno).



A minha proposta vai no sentido de que todos os alunos da turma tenham juntos 90 minutos de cada disciplina por semana (para componente teórica) e, por turnos de metade da turma, tenham mais 90 minutos de cada disciplina (para componente prática) alternadamente de quinze em quinze dias. Assim, todos os alunos teriam efectivamente as 6 horas previstas no currículo, das quais 2 horas quinzenalmente para componente prática em cada uma das disciplinas.



Exemplo:



Ciências Naturais:





1º Bloco 90´

2º Bloco 90´

Semana 1

Componente teórica

Componente prática – Turno 1

Semana 2

Componente teórica

Componente prática – Turno 2

Semana 3

Componente teórica

Componente prática – Turno 1

Semana 4

Componente teórica

Componente prática – Turno 2



Ciências Físico-Químicas:





1º Bloco 90´

2º Bloco 90´

Semana 1

Componente teórica

Componente prática – Turno 2

Semana 2

Componente teórica

Componente prática – Turno 1

Semana 3

Componente teórica

Componente prática – Turno 2

Semana 4

Componente teórica

Componente prática – Turno 1



Nota:

Esta proposta só será possível se lhe for associada uma real componente prática. Pelo que, se for utilizado o bloco reservado à componente prática para leccionar a componente teórica, poderá haver, por força da alternância quinzenal, desacerto de conteúdos entre os alunos dos diferentes turnos. Desacerto esse que se evidenciará quando a turma estiver junta. 

Todavia, em termos de componente prática, um turno andará sempre adiantado em relação ao outro (obviamente que o turno que andar adiantado numa disciplina andará atrasado na outra). Porém, se houver uma real componente prática que, de certo modo, não condicione sobremaneira o andamento da componente teórica, o facto de um dos turnos estar atrasado será minimizado.

Seria porventura, ao nível do ensino básico, nomeadamente no 3º ciclo, uma nova forma de abordar a Ciência na sua componente prática.