Autor

21 de fevereiro de 2012

Não desejes mal a ninguém, que o teu mal pelo caminho vem.

Advogado do Diabo, atento colaborador do blogue Professores Lusos, no seguimento do alerta feito pelo autor do referido blogue, Ricardo Montes, chama a atenção para a problemática das renovações, que se complicará bastante se o que está na proposta do MEC ganhar valor legal. 
Aqui fica a fundamentada chamada de atenção:

"Por exemplo, com concursos anuais de DACL, DCE e DAR com prevalência sobre as renovações,  muitas renovações poderão estar em risco!!!

Não acreditam?

Aqui está a prova:
Artigo 6.º

2 — Para efeitos de preenchimento dos horários que surjam, em resultado da  variação de necessidades temporárias, são abertos anualmente os seguintes concursos:
a) Destacamento para docentes com ausência de componente lectiva, destinado a docentes do quadro de agrupamento, de escola não agrupada ou de zona pedagógica;
b) De destacamento por condições específicas;
c) Destacamento por aproximação à residência familiar;

Artigo 36.º

4 — A renovação da colocação depende do preenchimento cumulativo dos seguintes requisitos:
b) Inexistência de docentes de carreira no grupo de recrutamento a concurso e que tenham manifestado preferência por esse agrupamento de escolas ou escola não agrupada;"

1 comentário:

Anónimo disse...

Concordo com 70% da carta da Elisabete.
Independentemente disso, custa-me verificar que esta carta vem com alguns anos de atraso relativamente a alguns dos aspectos focados- evidentemente este comentário não é dirigido de forma pessoal à sua autora- mas sim a todos que a adoptaram/adoptarem que me parece que tarde acordaram para um mundo da contratação que nunca os tinha afectado até este ano- eram sp colocados nos anuais e completos. De repente não foram. E de repente… foi grande o trambolhão. Digamos que dentro dos contratados existia mais do que 1 universo.
Há dois grandes problemas nesta proposta:
- os 4 em 6
- o intervalo de horários
E é aqui que me parece que o MEC tem a coisa preparada para fazer a negociação.
Da parte dos sindicatos, não vai haver grandes pressões pq os problemas dos Quadros ficam muito resolvidos com a proposta.
Os DACL, por exemplo, ficam bastante bem na fotografia. Os DAR todos os anos é a sorte grande para tantos e tantos. Há anos que não se via um Ministério tão amigo no caso dos Quadros com esta proposta. Estas benesses aos Quadros tb vão reduzir a empregabilidade dos contratados.
Só espero que quem se salvar e conseguir ficar com o horário completo e anual a cada dia 1 de setembro não esqueça que teve a sorte de estar no lugar certo na hora certo num distante dia qualquer há não sei quanto tempo, herdado dos concursos absurdos da nossa MLR- mas na altura ficou tudo calado, não foi..?
Foi, que muitos nem sequer estavam ainda no “sistema”, pelo tempo de serviço que vou lendo em todo o lado. Estavam a entrar e a dar os primeiros passos. Os outros, que já cá andavam há mais tempo, a esses não vi na altura grandes rasgos de revolta com a lotaria perfeita que foram aqueles concursos.E houve o bombom da ADD e aquela coisa de ser para entrar nos quadros e tudo e tudo.

Poucos restarão para contar a história. Sendo que, muitos dos que sobreviverão, nem sequer a viveram por completo. Mas não esquecer portanto que ao ficarem foi mesmo porque estavam no lugar certo na hora certa, quando concorreram, em que uma aplicação cega os colocou não sei onde. E que foi só isso.
Jake