Autor

7 de março de 2012

Não, não somos só 200! Quantos somos? Tu és?

Depois de ter sido colocada, por iniciativa do Arlindo, uma primeira questão ao Professor Marcelo sobre as prioridades dos concursos, quando se vislumbrava que os professores do particular com contrato de associação poderiam concorrer na 1ª prioridade ao concurso externo e ao de contratação inicial, a par com os professores do público, o mesmo referiu que todos os professores que podiam ser atingidos pela medida foram os mesmos que mandaram a pergunta, ou seja, 200! 
O desafio que vos deixo é que mostremos que não somos só 200 os professores que podem ser afectados por esta medida, nem tão pouco só são 200 os professores que estão conscientes desta igualdade desigual.
Assim, sejam participativos e enviem as questões abaixo formuladas para o e-mail: perguntasamarcelo@tvi.pt
O assunto do e-mail deve ser este: Concurso de Professores – Prioridades
1ª Questão
É legal que face à legislação ainda em vigor quem tenha garantida a 1ª prioridade nos próximos dois anos porque trabalhou num dos dois últimos anos no ensino público e face a mudança das regras nos concursos possa perder a 1ª prioridade por agora ser necessário ter 365 dias nos últimos 6 anos e não ter atingido este número de dias na legislação ainda em vigor?
2ª Questão
O regulamento dos concursos acordado esta semana permite que, no concurso externo de professores (para colocação nos quadros das escolas públicas), assim como no concurso  de contratação inicial, sejam igualmente ordenados na 1ª prioridade os candidatos oriundos dos estabelecimentos particulares com contrato de associação e os que têm desempenhado funções nas escolas públicas.
Considera razoável que o reajustamento do número de professores dos estabelecimentos particulares com contrato de associação, provocado pela Revisão Curricular, seja feito à custa dos professores do ensino público, aumentando ainda mais o número dos que serão empurrados para o desemprego e que até aqui serviram a causa pública?

1 comentário:

Anónimo disse...

Estes professores das escolas com contrato de associação, que agora se dizem públicas recebem subsídios de férias? Não deviam receber, uma vez que agora se equiparam às públicas, no que concerne ao acesso à 1.ª prioridade ;) Se são públicas não devem receber os subsídios pois não? ;)

Outra questão, se alguém me souber responder. Afinal quantas é que são essas escolas com contrato de associação?

2011-08-13 às 21:50
CONTRATOS DE ASSOCIAÇÃO COM ESCOLAS PRIVADAS
O Ministério da Educação e Ciência, através da Secretaria de Estado do Ensino e Administração Escolar, assinou um protocolo com o Movimento de Escolas Privadas com Ensino Público Contratualizado (MEPEPC) relativo aos contratos de associação.

http://www.portugal.gov.pt/pt/os-ministerios/ministerio-da-educacao-e-ciencia/documentos-oficiais/20110813-contratos-associacao.aspx




2011-09-13 às 17:56
CONTRATOS DE ASSOCIAÇÃO COM ESCOLAS PRIVADAS E COOPERATIVAS
O Ministério da Educação e Ciência, através da Secretaria de Estado do Ensino e da Administração Escolar, assinou um protocolo com a Associação de Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo relativo aos contratos de associação.

http://www.portugal.gov.pt/pt/os-ministerios/ministerio-da-educacao-e-ciencia/documentos-oficiais/20110913-financiamento-escolas-particulares.aspx

Eu ouvi dizer que eram cerca de 90...Será que só são 90?

Isto também não deixa de ser interessante...
"Associação estranha protocolo sobre ensino público contratualizado"

"Última actualização a 13 AGO 11 às 23:12, Publicado a 13 AGO 11 às 23:10A Associação de Estabelecimentos de Ensino Particular (AEEP) estranha o protocolo entre o Governo e o Movimento de Escolas Privadas com Ensino Público Contratualizado (MEPEPC). "


ver mais em:
http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Portugal/Interior.aspx?content_id=1951741