Autor

14 de julho de 2012

7000 intocáveis!?

10 comentários:

Ana disse...

A ironia perceptível no título do seu post (“7000 intocáveis!?”) era escusada e deixa transparecer aquele sentimento apoucado de quem exorciza os seus males com o mal dos outros… Será?

Ainda assim, admito que possa não ter sido essa a sua intenção e, neste caso, sugiro que altere o título do post.

Mesmo sem fazer parte dos que invoca, não posso deixar de salientar que são desacertos desta natureza que tornam a classe dos professores o bode expiatório da administração pública.

Moriae disse...

Assim se perdem solidariedades ...
http://democrato.blogspot.pt/2012/07/sobre-as-guerrinhas-muito-cinicas-entre.html

Anónimo disse...

cesar

educar A educação disse...

Ana e Moriae,

Levantem a cabeça, pensem com um horizonte de 2 anos e leiam novamente o título.

Também recomendo a leitura de:

http://educaraeducacao.blogspot.pt/2012/06/os-novos-contratados.html

Um abraço.

Moriae disse...

Levantar a cabeça? Tá bem tá ... Mas que arrogância para quem escreve:

"o peso de uma aposentação cada vez mais tardia; o peso de enfrentar turmas cada vez maiores; o peso de não poder deixar para os contratados as turmas que os professores do quadro não desejam; o peso dos horários não desejados não poderem ficar para os contratados; o peso de uma convivência de grupo dividida, até agora muitas vezes unida pelo fardo de factores fracturantes que o contratado silenciosamente carregava, cairá sobre os ombros de alguns, mal habituados, professores do quadro."

educar A educação disse...

Moriae,

Vamos esperar e ver a quem o tempo dá razão! Vamos ver quantos, forçados pelo momento, desistirão antes do tempo...

Um abraço.

Anónimo disse...

Não vejo nada de mais no ponto de interrogação. Pelo contrário, acho que fica lá muito bem. Esses 7000 vão continuar a receber o seu vencimento e mais tarde ou mais cedo, nomeadamente na bolsa de recrutamento, terão a sua colocação. E os contratados???? alguém se preocupada com eles? Não precisam também IGUALMENTE de trabalhar para pagar as suas contas? Pois, se forem todos para o desemprego não há problema. Agora, os efetivos terem que se deslocar ou ficarem a descansar (com ordenado)...esses são os verdadeiros problemas...Que pensamento TRISTE! É, por isso, que eu digo: não há união NEM PODE HAVER... os interesses são MUITO DIFERENTES

Moriae disse...

educar A educação, acho que não fui clara (:/):

Queria dizer-lhe que o link que remeteu, ao mesmo tempo que dizia a duas pessoas para levantarem a cabeça, é uma vergonha. Fica-lhe muito mal dizer o que diz e sugerir o que sugere neste post. Quanto a ter razão, não a terá, pois parte de premissas erradas.

E não aceito abraços de pessoas assim ...

educar A educação disse...

Moriae,

Vamos então aguardar para ver se as premissas estão certas ou erradas.

Atenciosamente,
Nuno Domingues.

Anónimo disse...

As primeiras vagas... do Tsunami e o estoicismo docente...
Já começaram a chegar as primeiras vagas do Tsunami pré-anunciado do desemprego dos contratados e dos horários zeros:

i) Como sempre os professores ficaram sob o efeito zombie, tendo a conciência da gravidade da situação a meados do mês de Julho: "Não tinha ideia que a situação era tão grave e agora?"

ii) Os Mários Nogueiristas e Lda. limitaram-se a fazer greves incólumes e providências cautelares - dever-se-ia, sim, ter-se realizado uma greve generalizada às avaliações do 3º período, ainda com os 18 mil professores contratados a leccionar e com a revolta dos professores das Áreas de Expressões, para obrigar o ME a negociar...

iii) E agora? agarrem-se a qualquer bóia, tentem passar por cima da vaga ou por baixo da espuma... o que interessa é safar-se, mas agora estão cada vez mais SOZINHOS! WAKE UP!

Não é preciso ser Nostradamus, para adivinhar que os professores ao chegarem à pausa lectiva de Natal, do ano lectivo 2012/2013, vão estar ARRASADOS (mais turmas, mais alunos por turma, mais testes para corrigirem e bancos de horas). Mas lamentavelmente tenho que dizer: "É bem feito!"

A TODOS UM GRANDE SPLASH !

http://eanossaescolinha.blogspot.pt/2012/07/as-primeiras-vagas-do-tsunami-e-o.html