Autor

20 de julho de 2012

Como colocar a concurso horários com tempos de 45 minutos?

Tomemos por exemplo um horário de 9 tempos de 45 minutos que tem que ser colocado a concurso.

9 tempos de 45 minutos são 405 minutos, convertendo em horas lectivas (de 50 minutos) dá 8 horas lectivas + 5 minutos.
Coloca-se a concurso 8 ou 9 horas lectivas?

Se colocarem 8 horas lectivas a concurso, como justificam os 5 minutos que faltam? Não se dão? Não se pagam?

Se colocarem 9 horas lectivas a concurso  (9 horas lectivas são 450 minutos e correspondem a 10 tempos de 45 minutos) o que fazer com o tempo extra?


Acresce também a questão: "A que crédito horário se vão buscar os minutos sobrantes da conversão?"


Convém analisar bem a seguinte tabela para se ter noção da confusão instalada.


Não será motivo de espanto que alguns dos horários a concurso sejam indicados com base nos tempos de 45 minutos e não em horas lectivas...

4 comentários:

Eclipse disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eclipse disse...

Boa questão! Por acaso até já tinha colocado a questão noutro blogue mas ninguém comentou. Na minha opinião será tudo pago arredondando por defeito! Por exemplo, um horário de 6 tempos letivos de 45 min. terá de ir a concurso com 5 horas (6 x 45 min.= 270 a dividir por 50 min = 5,4 horas) pois não acredito que se possa arredondar para cima! Sobre o crédito, provavelmente, só com um milagre. Agora, verifiquem todas as situações possíveis, multipliquem-nas vezes sem conta, por todo o país, e vejam quanto é que o Estado não irá "poupar"!!!! A não ser que comecem a pagar ao minuto!...

Anónimo disse...

Sim, concordo. As escolas têm que pagar ao minuto e contabilizar o tempo de serviço ao minuto ou então devem pagar por excesso. É no mínimo o que os sindicatos devem exigir. Não podemos permitir que nos paguem por defeito. Já não somos suficientemente roubados, explorados e desrespeitados? Ainda não percebi por que é que se fala tão pouco sobre este assunto. Deve ser por ser um assunto que só interessa aos contratados, já que os efetivos recebem o mesmo quer dêem mais horas ou não.

Eclipse disse...

Caro Anónimo. Por acaso sou professora "efetiva" e até falei deste assunto numa reunião de conselho pedagógico quando se esteve a escolher a unidade letiva!!!! E, por acaso, até tenho falado sobre isto com mais pessoas. E, por acaso, parece que ninguém se interessa, a não ser o Nuno que tb levantou, e bem, a mesma questão. Contratados, organizem-se antes que seja demasiado tarde!!!