Autor

1 de julho de 2012

A pergunta de

in Público, 1 de Julho de 2012

5 comentários:

Anónimo disse...

Sempre se pensou que com este novo ministro/MEC as renovações acabassem, devido às ultrapassagens da graduação nas listas. Não será isto uma violação da lei? Ainda ninguém se lembrou de recorrer aos tribunais. Se vamos a concurso, que é público, se concorremos a um certo lugar que afinal não está lá, vago, isto é legal? Sim, porque afinal já está ocupado por outro colega que renovou. Então, assim, para total transparência, não devia essa escola sem vaga para certos grupos, ser omitida?

Anónimo disse...

Neste momento, não seria bem mais pertinente outro tipo de pergunta que compreendesse questões que dizem respeito aos cortes cegos e profundos que vamos sofrer neste próximo ano letivo? O desemprego para muitos de nós, contratados, será uma realidade nua e crua. O dilema das renovações, neste momento, poderá estar em segundo plano, apesar de compreender este problema. Temos que lutar pelos nossos empregos, vamos engrandecer o MVPC!

Anónimo disse...

Para anónimo das 09:10:

Não sei se reparou, mas para além deste post, o blogue tem arquivo.

educar A educação disse...

Caro anónimo das 9:10,

Ainda não reparou que é a situação de desemprego que avizinha que mais sentido dá à pergunta? Já pensou que este pode tocar colegas mais bem graduados e não afectar, graças à renovação da colocação, colegas pior graduados? Se há ano em que se justifica acabar com as renovações, é este, exactamente porque o desemprego vai ser grande.
Se reparar bem, a pergunta também aborda a questão da plurianuidade das colocações, cuja a verdadeira intenção é adiar o tema do ingresso na carreira cada 4 anos. Já pensou quantos colegas poderiam ter entrado para o quadro se houvesse abertura anual de vagas?
Se se olhasse menos para o umbigo...
Um abraço.

Anónimo disse...

Colega das 09.10: então não percebe que as renovações sucessivas a 4 anos penalizam os empregos dos outros e todos os contratados? É passar à frente, vilanagem!! E que os docentes dos quadros ao saírem das escolas anualmente, se o desejarem, também nos ajudariam a ter mais lugares, quem sabe nas escolas mais perto das nossas casas? A relação desta coisa é tão óbvia como 2+2 serem... espere, vou buscar a máquina de calcular.
lolololol