Autor

11 de julho de 2012

Qual o antídoto?

Em dia de greve dos médicos é apropriado falar em doses e antídotos.

O país está doente e, apesar de, aparentemente, já se ter libertado do principal agente infeccioso, as sequelas são muitas. 

Por ser vital ao estado o sistema de ensino público utiliza parte significativa da energia produzida - €. Quando cada vez mais o consumo é menor, a energia dele produzida também  é menor. 

Eis quando o MEC decide aplicar uma dose forte ao sistema de ensino público para rentabilizar energias.

A prescrição de: mega-agrupamentos; horários de 24 tempos lectivos; aumento do número máximo de alunos por turma; novas matrizes curriculares, entre outras(os), começa agora a evidenciar-se como excessiva.

Tudo faz crer que a dose utilizada pelo MEC para limitar a dimensão do corpo docente aos professores do quadro, eliminando a quase totalidade de professores contratados com vários anos de serviço, é excessiva.

O excesso da dose far-se-á notar, tal como desejado, não só nas células mais sensíveis e que mais proliferaram nos últimos anos (os professores contratados), mas também naquelas que à partida não eram para ser eliminadas (os professores da carreira).

A palavra mobilidade poderá vir a ter outro sentido ao ouvido dos professores da carreira. 

Será o antídoto, para este excesso de dose, feito de casta crato e pele de coelho?  

4 comentários:

Lina disse...

Bom dia, Nuno.
Será que me pode esclarecer uma questão?

Sou contratada. Aquando da manifestação de preferências, será que apenas poderei colocar códigos de concelhos? Estive a ver a legislação e uma vez que este concurso (contratação) ainda se rege pela anterior legislação, penso que sim. Mas queria mesmo ter a certeza para não fazer asneira. É que este ultimo diploma doc concursos fala em 25 escolas, 10 concelhos, 2 QZP's, no mínimo. Mas isso será só para o ano, certo? Obrigada!

educar A educação disse...

Boa tarde,
Sim.
XV — Manifestação de preferências dos candidatos a contratação
1 — ..)
1.1 — Os candidatos ao referido concurso manifestam as suas preferências, por ordem decrescente de prioridade, por agrupamento de
escolas ou escola não agrupada, por concelhos e por área geográfica
dos quadros de zona pedagógica, nos termos dos n.os 3 e seguintes do artigo 12.º do Decreto -Lei n.º 20/2006, na redação dada pelo Decreto-Lei n.º 51/2009.
1.2 — Respeitados os limites fixados no n.º 3 do artigo 12.º do Decreto-Lei n.º 20/2006, na redação dada pelo Decreto -Lei n.º 51/2009, os candidatos devem manifestar as preferências para cada um dos intervalos previstos nas alíneas a)a d) referidas no n.º 7 do mesmo artigo e a duração previsível do contrato os termos previstos nas alíneas a) e b) do n.º 9 do mesmo artigo.
1.3 — Para cada uma das preferências manifestadas, os candidatos são obrigados a respeitar a sequencialidade dos intervalos de horários, do completo para os incompletos.

educar A educação disse...

Retirado do aviso de abertura:
http://dre.pt/pdf2sdip/2012/04/074000001/0000400009.pdf

Lina disse...

Muito obrigada!
Abraço