Autor

15 de julho de 2012

A revolta dos professores a duas velocidades.

Ainda há pouco tempo, quando a noção de que a organização do novo ano lectivo iria ter implicações em alguns professores do quadro, nomeadamente da área das expressões, e em quase todos os professores contratados, a revolta dos professores cantava baixinho.

Agora, que as escolas começaram a fazer os mapas de serviço, entendeu-se que as implicações vão muito para além dos professores das expressões e dos professores contratados. 

Agora, agora a velocidade da revolta dos professores aumentou, e bem, mas não deixa de estar manchada por antecedentes de egoísmo disciplinar e de vínculo.

Agora...

Sem comentários: