Autor

quarta-feira, 11 de Janeiro de 2012

Desdobramento nas Ciências

Tal como previ aqui, ontem, o ministro Nuno Crato esclareceu o modelo de desdobramento nas Ciências, com direito a desenho e tudo, numa espécie de articulação com EVT!

Como já era do conhecimento comum, no 2º ciclo acabará qualquer desdobramento nas Ciências. O que poucos saberiam é que a razão se prende com capacidades incipientes destes alunos para a experimentação!

Relativamente ao modelo de desdobramento das Ciências no 3º ciclo, terá a alternância de um tempo num bloco, ou seja, numa semana os alunos terão:
- 1 Bloco de Ciências Naturais;
- 1 Bloco de Ciências Físico-químicas;
- 1 Bloco para trabalho experimental, alternando um tempo (45 min.) para as Ciências Naturais para o Turno 1 e outro para Ciências Físico-Químicas para o Turno 2, trocando os turnos no segundo tempo do mesmo bloco.

Em suma, tal como consta na proposta de revisão curricular, serão 6 tempos semanais para os alunos (3 por disciplina) e 8 tempos semanais para os docentes (4 por disciplina).

Por cada turma do 3º ciclo cada professor de Ciências Naturais ou de Ciências Físico-químicas terá a carga horária semanal de 4 tempos de 45 minutos.

         Dito isto, haverá as críticas de uns, por serem escassos os 45 minutos para a actividade experimental, e a conformidade de outros.

            A alternativa, sem mexer na carga horária da proposta, seria esta que fiz aqui.

       Assim, também haverá aqueles que prefeririam 90 minutos experimentais alternados quinzenalmente e aqueles que prefeririam 45+45 minutos semanalmente deixando cair o argumento da escassez de tempo para a actividade experimental.

           O que eu acho mesmo é que haverá muitos a preferirem o umbigo e que não estão para aqui virados!

       Falta ainda saber se o desdobramento no 3º ciclo será obrigatório, ou se continuará facultativo por causa do velho argumento das instalações. Se não há instalações, sejam coerentes e criem-nas!