Autor

11 de junho de 2013

Mau perder!?


"Nuno Crato anuncia que Ministério da Educação vai recorrer da decisão e mantém data dos exames nacionais
O ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato, anunciou, esta segunda-feira, o recurso da decisão do colégio arbitral de não decretar serviços mínimos na greve dos professores a 17 de junho, recusando adiar os exames marcados para esse dia."

Despacho normativo n.º 7/2013 - Organização do ano letivo

Resultados da greve às avaliações por escola (SPN)

Colégio Arbitral determina que não há lugar a serviços mínimos - Acordão do Colégio Arbitral

 PDF Acordão - Colégio Arbitral

Colégio arbitral decide não decretar serviços mínimos na greve dos professores

Nuno Crato em entrevista hoje no Económico: “Estamos à espera da decisão em relação aos serviços mínimos”

"Nuno Crato espera que sejam decretados os serviços mínimos para a greve aos exames de dia 17 e reconhece que será mais difícil resolver a questão com a greve geral de 27 de Junho.


Já tivemos o primeiro dia de greve às avaliações. Tem algum balanço?

Não, não tenho balanço nenhum. Deixe-me dizer-lhe: uma greve à avaliação é algo que é altamente prejudicial para os alunos. Suponhamos que há dez professores num conselho de turma, se um faltar não se realiza o conselho de turma e não há nota dada. Digamos que se um em dez fizer greve, é o equivalente a sucesso total no objectivo da greve.



É isso que está à espera?
Não é isso que estou à espera, mas estou só a dizer que, se nenhuma reunião de avaliação se registar, quer dizer que em todos os conselhos de turma houve pelo menos um professor que faltou. Não quer dizer que todos os professores tenham aderido à greve."