Autor

13 de janeiro de 2017

Erro do ME vai ser responsável pela não vinculação de docentes

O erro do ME em atrasar para meio de setembro as colocações de mobilidade por doença vai ser responsável pela não vinculação de quantos docentes?

Havemos de o saber a seu tempo.

Lembro que esse erro, feito com a cobertura dos sindicatos, fez com que os docentes mais graduados entrassem mais cedo em horários piores e os docentes menos graduados entrassem mais tarde em horários melhores.

A ilação justa a fazer-se a partir dos horários anuais e completos seria calcular o número de vagas para a vinculação extraordinária. 

E as 1863 renovações que dão acesso ao requisito "horário anual e completo" não contaminam?



"- o docente deve possuir cinco contratos em seis anos, desde que no ano letivo de 2016/17 tenha um horário anual e completo. Isto para evitar uma “contaminação” direta dos efeitos da BCE, pois apenas este ano esta foi suprimida. Se o docente possui estes cinco contratos em seis anos significa que existe uma necessidade permanente no sistema educativo e que a mesma se arrasta até ao presente ano letivo."  Comunicado – Pró-Ordem reuniu esta tarde com o SEAE


ANVPC regozija-se com a introdução do requisito "horário anual e completo" como condição para efectivar!

"Mais, a introdução do novo requisito – o docente ter obtido horário completo e anual no presente ano letivo – permite, na maioria dos casos, que sejam vinculados os docentes com uma maior graduação profissional, anulando a “distorção” na lista nacional graduada que poderia ser potenciada pela estrita utilização do tempo de serviço." ANVPC, 13/01/2013



Comentário: 

A ANVPC tem por obrigação saber que muitos dos colegas melhor graduados que entraram em CI e não apanharam horário anual e completo não vinculam com a introdução do requisito "horário anual e completo", e que colegas pior graduados que entraram em RR com completo e anual vinculam! 

Felizmente que a ANVPC não tem o enquadramento legal dos sindicatos e como tal não se senta à mesa de negociação com o ME. É caso para dizer: "Com amigos destes não são precisos inimigos!"

Informações da negociações via SIPE

Ministério da Educação propôs:

Concurso Externo: podem concorrer na segunda prioridade todos os docentes que tenham 365 dias nos últimos 6 anos;

-  Concurso Interno: ME vai apurar todas as vagas dos docentes que tenham estado 4 anos na mesma escola e vai abrir vaga para quadro de agrupamento, com a finalidade de permitir mudança de agrupamento a todos os docentes do QE/QA  que estejam longe de casa conseguindo, assim, a aproximação à sua residência (não necessitando de ir à mobilidade interna e concorrerem a DAR).
Mobilidade Interna: os docentes que deixem de ter componente letiva podem regressar à sua escola de origem, desde que aí haja vaga.
- Mobilidade Interna: os docentes podem voluntariar-se para DACL.

- Vinculação Extraordinária: os docentes tem de ter 12 anos de serviço e nos últimos 6 anos terem 5 contratos, mas com a obrigatoriedade, de terem no ano letivo 2016-2017 horário anual e completo.
- Se as vagas que o ME diz vir apurar e a apresentar,  não forem em número suficiente para resolver os problemas da prioridade da aproximação à residência, na mobilidade interna, a solução hoje apresentada não resolverá o problema dos muitos docentes do QE/QA  que estão longe das suas residências e pretendem, fruto da sua graduação profissional, aproximar à sua residência.

Novidades sobre a vinculação extraordinária e a 2.ª prioridade do CE

  • 2.ª prioridade do Concurso Externo: repostos os 365 dias nos últimos 6 anos;
  • Vinculação: cai o requisito de estar no mesmo grupo de recrutamento em 5 dos últimos 6 anos e o tempo antes da profissionalização passa a ser contabilizado, mas agora tem que se ter horário anual e completo em 2016/17!!! Assim, os melhores graduados que entraram em CI e não apanharam horário anual e completo não entram, mas os menos graduados que entraram em RR com completo e anual vinculam! Inacreditável!